Diamante negro, um novo clássico
3 de agosto de 2012

Na história da joalheria, os diamantes sempre figuraram como favoritos para a composição de belas peças. O seu brilho intenso fez com que essa gema ganhasse muitos fãs, apaixonados pela sua beleza e perfeição.

Além dos incolores e cognac, eles também existem em diversas outras tonalidades, como azul, rosa, vermelho, amarelo e verde. Esses diamantes coloridos, chamados de fancy (ou fantasia) por especialistas, sempre foram considerados ítens de colecionadores, por serem ainda mais raros do que os incolores em seu formato natural.

Brincos Arvorecer de Ouro Nobre com diamantes negros
Brincos Arvorecer de Ouro Nobre com diamantes negros

As cores escuras dessa pedra, o negro e o marrom, não eram tão valorizados antigamente, pois se acreditava que eram inferiores aos incolores. Hoje, no entanto, sabemos que pedras grandes na tonalidade negra natural são extremamente raras. Portanto, pedras naturais desta cor com tamanhos a partir de 2 quilates podem superar o valor de um diamante incolor. E somente artesãos extremamente qualificados estão aptos a lapidar esta pedra, extraindo dela seu melhor brilho.

Todos os diamantes (dos incolores aos dos mais variados tons) são compostos pelo elemento carbono, e o que faz com que ele se torne negro é o acúmulo de pequenas plaquetas, geralmente de grafite, em sua estrutura. Essas plaquetas fazem com que a absorção de luz seja completa.

Anel da coleção Pedras Roladas, de ouro amarelo com diamantes negros
Anel da coleção Pedras Roladas, de ouro amarelo com diamantes negros

Alguns diamantes negros fizeram história, pela intensidade da sua cor ou pelo seu tamanho. O “Black Star of Africa”, por exemplo, pesa 202 cts. Essa pedra foi vista pela última vez em uma exibição em Tóquio, no ano de 1971, onde foi avaliado em 1,2 milhões de dólares, e hoje não se têm mais notícias sobre o seu paradeiro. Outro conhecido é o “Black Orlov”, com 67,5 cts. e uma cor negra hipnotizante. Acredita-se que ele foi nomeado em homenagem à princesa russa Nadia Vyegin-Orlov, que foi sua dona durante um período do séc. XVIII. Esse diamante hoje pertence a um negociador de pedras da Pensilvânia, EUA, que o comprou por uma quantia não revelada em 2005.

Apesar de os de tons mais claros ainda imperarem nas coleções de grandes joalherias, o negro já conquistou seu espaço. Ele combina bem com todas as cores de ouro, e pode ser usado em um belo pavê de diamantes, por exemplo, por ser mais disponível em tamanhos menores.

Em looks formais ou mais descontraídos, as joias com diamantes negros são sempre uma boa escolha, e podem ser consideradas peças clássicas e atemporais, que deixam as mulheres ainda mais bonitas e elegantes.

Fizemos uma seleção de algumas joias H.Stern com essa pedra. Lindas, não acham?

Em sentido horário: pendente Pedras Roladas, brincos Yu Gardens, anel e pulseira Ancient America e anel My Collection
Em sentido horário: brincos Yu Gardens, anel e pulseira Ancient America, anel My Collection e pendente Pedras Roladas

4 thoughts on “Diamante negro, um novo clássico

    1. Oi Vitor! Para saber se é um diamante verdadeiro ou não, recomendamos que você leve a pedra a um joalheiro ou ourives de sua confiança, para que ele possa fazer uma avaliação. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *